Notícias

12.09.2013
STIUPB apresenta estudo que revela o aumento no consumo da água de "Boqueirão"

 



Volume atual do reservatório é de 44% de sua capacidade total, ou seja, pouco mais de 180 milhões de metros cúbicos (foto: Leonardo Silva)

 

Estudo mostra que aumento populacional das cidades abastecidas pelo manancial não veio acompanhado de medidas para reduzir perdas de água.


Um estudo apresentado pelo Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas da Paraíba (Stiupb) levantou mais uma vez a discussão sobre a gestão das águas do manancial Epitácio Pessoa, mais conhecido como Boqueirão, e a possibilidade de ser iniciado um racionamento nas mais de 20 cidades abastecidas pelo açude.

Segundo os dados coletados de consumo de água, apenas das residências de Campina Grande, a vazão outorgada de água é de 1,3 metro cúbico por segundo, enquanto que a vazão retirada do reservatório do Cariri é de 2,45 metros cúbicos por segundo.

Esse aumento, segundo explicou Wilton Maia, presidente do Stiupb, implica em um consumo maior de 2.400 metros cúbicos por dia, já que segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nos últimos dez anos a população de Campina Grande aumentou em 30 mil pessoas. “Hoje o abastecimento está maior e não foi feito nenhum planejamento para reduzir as perdas por vazamento. De toda a água que é retirada é possível que até 40% se perca, por isso o volume em Boqueirão está baixo”, apontou Wilton.

Essa preocupação refletiu na atual reserva do açude. De acordo com dados do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), o volume atual do reservatório é de 44% de sua capacidade total, ou seja, pouco mais de 180 milhões de metros cúbicos. Segundo o superintendente do Dnocs, Solon Alves Diniz, a Agência Nacional de Águas (Ana) está fazendo todo o controle do local, e que ontem foi iniciado um estudo minucioso para averiguar a gravidade da escassez de água.

“A Agência Nacional está analisando todas as possibilidades que cercam o reservatório. Primeiro será analisada a parte com água do açude e depois a área que já está seca. A demanda de consumo está em uma diminuição de um centímetro por dia, o que corresponde o abastecimento em todas as cidades, já contando a evaporação. Isso aponta para uma vazão de 230 mil metros cúbicos por dia. Com esse estudo, deverá ser apresentado no final de ano todo o planejamento necessário para o próximo ano da distribuição de água”, apontou.

Apesar desse estudo, o presidente do Stiupb foi pessimista sobre a situação real do reservatório. Ainda de acordo com os dados do levantamento feito pelo sindicato, se o consumo se mantiver como está, no mês de dezembro o volume do açude estará em 34%, mesmo índice do racionamento que foi realizado no ano de 2001, com 150 milhões de metros cúbicos. Já em dezembro de 2014 a situação será de colapso, caso não haja cheia. “Se continuar assim em dezembro de 2014 teremos apenas 11% de capacidade. O que seria 50 milhões de metros cúbicos. Um dado alarmante”, disse Wilton Maia.

O QUE DIZ A CAGEPA

Para a Cagepa, de acordo com a assessoria de comunicação, a empresa tem mantido sua política de substituição dos equipamentos de distribuição de água para diminuir a quantidade de vazamentos provocados pela deterioração de canais de distribuição de água. Ela ainda apontou que tem intensificado uma campanha contra o desperdício de água para que os consumidores evitem gastar mais água do que precisam gastar.

AUDIÊNCIA ACONTECE HOJE

Uma audiência acontece hoje na Câmara Municipal de Campina Grande, onde representantes da gestão pública da cidade e mais 19 municípios abastecidos pelo açude irão institucionalizar uma campanha de conscientização para economizar água.

“Nosso objetivo é conscientizar para que cada pessoa faça sua parte e economize água, pois nós já estamos em sinal de alerta e esse trabalho começa de cada um. Inicialmente a meta é distribuir dois mil adesivos para que possamos atingir o maior número de pessoas possível”, disse o presidente da Comissão Permanente de Recursos Hídricos do Meio Ambiente do Semiárido na câmara, o vereador Lula Cabral.

Jornal da Paraíba - Cidades  - Givaldo Cavalcanti - 12/09/2013


 

 

 

 

Outras notícias