Notícias

11.03.2014
Má gestão faz 120 mil pessoas na Paraíba sofrerem com o colapso no sistema de abastecimento d`água

O sertão paraibano tem sofrido bastante com a falta de água nas torneiras. Má gestão dos recursos hídricos e falta de vontade política são os principais responsáveis para o sofrimento atual do povo sertanejo.

Populações inteiras se reúnem em estradas estaduais e federais interrompendo o tráfego, queimando pneus, para exigir dos prefeitos e da Companhia de Água e Esgoto da Paraíba (CAGEPA) uma solução para este problema.

São mais de 120 mil pessoas em todo o Estado que enfrentam o colapso no sistema de abastecimento de água. São 170 municípios, dos 223 municípios da Paraíba,  em Estado de Emergência por conta da estiagem. Sem água nas torneiras, a população depende da água distribuída em carros pipas. Teoricamente, o colapso no sistema se dar por conta da seca e, assim, por não haver água nos mananciais que abastecem as Estações de Tratamento de Água (ETA). Entretanto, verificamos um completo descaso do poder público em relação a esta situação.

Na cidade de Juru, distante 398 km da capital paraibana, os moradores sofrem com o descaso da CAGEPA que não instala os equipamentos de captação de água em um novo manancial, visto que o açude que abastecia a cidade secou por conta da estiagem.  O sistema de captação de água é feito de forma improvisada, com ajuda de agricultores, que fornecem eletricidade e um motor bomba para o sistema de captação.

Já na cidade de São João do Rio do Peixe, localizado na microrregião de Cajazeiras, a população com mais de 17 mil pessoas dependem de um poço artesiano cavado ao lado da ETA da cidade, já que o sistema entrou em colapso.

Em alguns casos, a simples estrutura de encanação não é garantida pela CAGEPA e os moradores de conjuntos habitacionais construídos recentemente vivem em situação de abandono. É o caso da cidade de Boa Ventura, situada na microrregião de Itaporanga, onde os moradores ameaçam bloquear novamente a pista que dá acesso a cidade caso o problema não seja resolvido.

Exemplos claros da má gestão no sistema de abastecimento de água que poderia, se resolvido, aliviar o sofrimento dos sertanejos.

Para piorar a situação os açudes, agora secos, não recebem nenhum tratamento para aumentar sua capacidade de armazenamento na volta das chuvas. As ETA`s em estado de colpaso, estão em situação de completo abandono com os seus equipamentos enferrujados e se deteriorando ao não receber nenhum tipo de manutenção por parte da CAGEPA.

“A construção de cisternas e reservatórios de água, buscando armazenar com um tempo maior a água advinda dos açudes poderia evitar o estado de colapso que estamos vivendo” afirma Wilton Maia, presidente do Sindicato dos Urbanitários da Paraíba. Wilton afirma ainda que a última intervenção do Estado na construção de barragens se deu há uma década atrás. A construção de Reservatórios diminuiria a perda decorrente do processo natural de evaporação da água.

Nos dias 21 e 22 deste mês, o STIUPB estará realizando o seu segundo seminário sobre Saneamento Básico, onde irá tratar desse assunto e propor mudanças na gestão dos recursos hídricos no Estado. O seminário será realizado na cidade de Patos, sertão da Paraíba.

Fonte: Matéria de Emerson Lira no Jornal A Verdade

 

Outras notícias