Notícias

11.09.2018
Mais uma do Governo ilegítimo: Eletrobras vai reabrir programa de demissão voluntária

 

A Eletrobras vai reabrir em outubro o Plano de Demissão Consensual (PDC). Segundo o presidente da empresa, Wilson Ferreira Júnior, o objetivo é desligar cerca de 2,4 mil funcionários que são um excedente de mão de obra no momento.

A decisão da Eletrobras faz parte de um pacote de privatizações propostas pelo Ilegítimo Governo Temer , que começou pela terceirização de atividades no serviço público e a trágica Reforma Trabalhista.

O presidente da empresa foi fulminante para com os trabalhadores quando disse: “A tecnologia que é mais avançada, a padronização e a organização dos processos vão permitir ao grupo Eletrobras, como um todo, reduzir em torno de 2,4 mil empregados”.

Na primeira etapa do PDC, houve adesão de 736 empregados. Ferreira disse que espera terminar a gestão na empresa com um quadro de funcionários reduzido à metade do que quando assumiu o cargo. De acordo com ele, eram 24 mil empregados em junho de 2016. Com as privatizações e programas de demissão, Ferreira pretende entregar a companhia com 12 mil funcionários no início do ano que vem.

Privatização

A próxima etapa no programa de privatizações da Eletrobras é a venda da Amazonas Distribuidora de Energia, prevista para o dia 26 de setembro. O negócio evitaria, segundo Ferreira, um processo de liquidação da empresa. “É o pior que pode acontecer”, disse sobre a medida que, de acordo com ele, prejudicaria funcionários e credores. Das seis distribuidoras que eram controladas pela estatal, quatro já foram leiloadas.

A Companhia Energética de Alagoas (Ceal), teve o leilão suspenso devido a uma decisão judicial do ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), impedindo a venda da companhia, após ação movida pelo governo de Alagoas.

Ferreira defendeu, no entanto, que a Eletrobras deve vender parte de suas ações para se capitalizar e ter dinheiro para fazer os investimentos necessários no setor elétrico brasileiro. “

Para o presidente do Stiupb, Wilton Maia Velez, toda essa falácia do Governo Federal é tão somente para privatizar por privatizar, pensando apenas na entrega do que é público ao capital privado, sem levar em conta fatores regionais, nem no impacto que isso vai provocar à empresa e aos seus funcionários.

Agência Brasil com Stiupb

 

 

 

Outras notícias