Notícias

06.03.2019
Semana da Mulher Urbanitária começa em Campina Grande com preocupações sobre alto índice de feminicídio

Com as presenças de mulheres da Cagepa, o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas na Paraíba – Stiupb, iniciou nesta quarta-feira (6) de cinzas, a Semana da Mulher Urbanitária – na luta por todas, e que prossegue nesta quinta-feira, 07, até a sexta-feira, 8.

A abertura da Semana aconteceu no auditório da Cagepa Borborema, com as presenças do Gerente Regional da Companhia, Ronaldo Menezes; o presidente do Stiupb, Wilton Maia Velez; do vereador Galego do Leite (Podemos), um grande defensor da categoria urbanitária, além de Gisleide Dantas Leite, Secretária de Mulheres, Juventude, Gênero, Etnias e Minorias do Stiupb.

Em sua fala na abertura, Ronaldo Menezes, parabenizou as mulheres e o Stiupb pela realização do evento e disse que é preocupante a realidade atual vivida pelas mulheres, com altos índices de feminicídio.

O presidente do Stiupb disse que fez questão de começar o evento numa quarta-feira de cinzas: "Imagino que muitos achavam que não daria certo realizar um encontro nesse período e numa companhia onde o machismo é predominante, mas estamos aqui para mostrar que podemos sim fazer diferente. Os homens precisam entender que a mulher não é objeto de decoração, mas sim uma companheira de todas as lutas".

Wilton Maia afirmou que o sindicato também reconhece que a entidade pouco fazia em prol das mulheres: "mas estamos aqui para pedir desculpas pelos erros do passado. Acreditamos muito no potencial dessas trabalhadoras, as quais pensaram, formataram e estão realizando esse evento".

O evento teve ainda a exibição de um pequeno vídeo mostrando como surgiram as comemorações alusivas ao Dia Internacional da Mulher (08 de Março) e logo em seguida, Maria do Socorro Dantas (Secretária Regional Adjunta do Stiupb no Cariri, fez um breve comentário sobre o material exibido.

No hall de entrada da Cagepa acontece uma exposição de fotografias de mulheres que contribuíram ou até deram suas vidas por causas diversas, a exemplo de Margarida Maria Alves, ilustram também as imagens de Lourdes Ramalho, Raquel de Queiroz, Elizabeth Teixeira, Luiza Erundina, Dilei Aparecida, Dilma Rousseff, entre outras.

PROGRAMAÇÃO DOS DEMAIS DIAS

Nesta quinta-feira, 7, também no auditório da Cagepa, às 9h, Dra. Marli, da Delegada da Mulher, estará à frente de um debate sobre o trabalho da Delegacia em defesa das mulheres violentadas por seus companheiros.

Ainda no dia 07, só que no hall de entrada do Sindicato dos Urbanitários, a partir das 14h, Dilei Aparecida, do MST da Paraíba, fará uma abordagem sobre as lutas das mulheres do campo, abrindo logo em seguida para o debate  com o tema “você não é só uma ferramenta da casa”, reflexão sobre os papéis atribuídos a mulher  na sociedade atual. Na ocasião, o será prestada uma homenagem a Terezinha Erasmo da Silva (dona Tetê) – funcionária do sindicato, e, para tanto, foi criada a honraria Mulher de Honra.

Outra novidade deste evento será o Cineclube, com a exibição de filmes.

No dia 07 será exibido, no auditório do Stiupb, “Norma Rae”, de 1974. O filme conta a história real de uma jovem que trabalha numa fábrica têxtil local por um salário que não condiz com as longas horas e as péssimas condições de trabalho. Depois de ouvir um discurso de um defensor dos direitos trabalhistas, Norma é inspirada a convencer seus colegas de trabalho a lutar pela criação de um sindicato.

No último dia da programação, na sexta-feira, 08, no auditório da Cagepa, às 9h, será exibido o filme As Sufragistas, que conta a história das mulheres que enfrentaram seus limites na luta por igualdade e pelo direito de voto. Elas resistiam à opressão de forma passiva, mas, a partir do momento em que começaram a sofrer uma crescente agressão da polícia, decidiram se rebelar publicamente.

Logo em seguida haverá uma discussão sobre o filme apresentado com a seguinte temática: “Quais as melhorias que as mulher conquistou na sociedade atual?”.

Na parte da tarde, também na Cagepa, às 14, haverá palestra e logo em seguida, mulheres de luta da Cagepa e Energisa serão homenageadas. A Semana da Mulher Urbanitária será encerrada com um coffe break e um momento cultural.

 

Outras notícias