Notícias

09.05.2020
Stiupb repudia agressão covarde contra funcionário da Cagepa em Campina Grande

O Sindicato dos Urbaitários da Paraíba, infelizmente, vem tornar público que mais um funcionário da Cagepa foi vítima de agressão desnecessária. No dia 03, Tarcísio Fontes foi ameaçado na cidade de Patos e, na última quarta-feira, 06, a agressão foi mais grave e aconteceu em Campina Grande, tendo a vítima sido atingida com um soco no rosto quando atendia a uma ocorrência de rotina.

A vítima trata-se de Fabrício L. Benício, há seis 6 anos funcionário da Cagepa e atual Coordenador da Microrregião da Depuradora, em Campina Grande. Ele é filho do diretor do Stiupb, José Benício.

A agressão aconteceu no período da tarde, quando Fabrício foi até a Travessa BR-230, na comunidade Santa Terezinha, para acompanhar a averiguação, por parte de funcionários colegas seus, de um vazamento na parte de trás de uma residência.

Ao chegar na citada Travessa, Fabrício pediu a autorização para estacionar o carro da empresa um pouco acima da calçada cidadão agressor, já que as ruas do local são muito estreitas.

Conforme Fabrício, o homem permitiu o estacionamento, mas logo em seguida passou a questioná-lo sobre umas faturas que, segundo ele, estavam anormais, com valor elevado:  "O atendi tranquilamente, averiguei suas contas e lhe disse que tudo estava dentro da normalidade. Ele não satisfeito, começou a me dirigir de forma violenta, chamando a Cagepa de empresa constituída pro ladrões e ainda bateu no carro da empresa com um soco. Mas mesmo assim me mantive tranquilo e apenas pedi a autorização do mesmo para tirar o veículo da calçada do cidadão. Foi aí que ele, num ato covarde, partiu pra cima de mim e me desferiu um soco no rosto".

Fabrício, já caído ao chão, conforme relato já feito na Polícia, só não foi chutado pelo agressões porque seus colegas de trabalho não permitiram que isso acontecesse.

O soco desferido pelo agressor quase atingiu seu olho esquerdo e foi necessário atendimento médico para combater o sangramento e a agressão que ficou visível em seu rosto. O óculos do funcionário também foi quebrado durante o ato violento.

Fabrício prestou queixa na Central de Polícia e agora espera que o agressor seja condenado na esfera judicial por lesão corporal, desacato a funcionário público em pleno horário de trabalho, agressão a dois funcionários, além de danos materiais.

O Stiupb, conforme seu presidente, Wilton Maia Velez, repudia essas agressões que estão acontecendo contra trabalhadores urbanitários, não apenas na Paraíba, mas em todo o País, com registros, inclusive, de vítimas fatais de funcionários da Energisa, entre outros episódios lamentáveis.

 

Outras notícias