Notícias

21.11.2012
SESSÃO DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DA PARAIBA DISCUTE SERVIÇOS PRESTADOS PELA ENERGISA

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) realizou na tarde desta segunda-feira (19), no plenário José Mariz, uma sessão especial para discutir os serviços prestados pela Energisa no estado. Apesar dos convites, via ofícios e requerimentos, representantes da empresa não participaram da solenidade.

O deputado Frei Anastácio (PT), autor da propositura, lamentou a postura dos diretores da Energisa, o que, segundo ele, comprova que os serviços da empresa na Paraíba deixam muito a desejar.

“Isto compromete muito o trabalho da Energisa na Paraíba. Com esta postura a empresa não desrespeita o deputado Anastácio, mas sim os 36 parlamentares que compõem esta Casa. Somos um Poder e temos a obrigação de dá satisfação à população das demandas que nos chegam. Lamentavelmente aqueles que têm que dá uma resposta a sociedade aqui não vieram, mas não importa, pois mesmo sem a presença deles mostraremos a gravidade dos problemas e a indiferença da Energisa com os consumidores e com o estado em geral”, disse.

Além do deputado Anastácio, compuseram a mesa da solenidade o deputado Edmilson Soares (PEN), Gleyson Ricardo Melo (coordenador das Assembléias Populares da Paraíba); e Wilton Maia (Presidente do sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas da Paraíba). Edmilson Soares, que presidiu a sessão, também lamentou a postura da Energisa e de outras autoridades, a exemplo de membros do Ministério Público e Procons, que se ausentaram do debate.

Entre os problemas elencados por Anastácio durante a sessão referentes aos serviços prestados pela Energisa estão: a falta de Tarifa Social para comunidades indígenas e quilombolas; o fechamento de postos de atendimento ao consumidor, principalmente, em municípios do interior do Estado; abuso no valor das tarifas; troca de medidores eletrônicos sem autorização de usuários; e a implantação da energia pré-paga.
Para o deputado, “o sentimento de preocupação da população gira em torno do aumento de tarifa, sobre o que pode representar para o bolso do consumidor, principalmente da população carente”. “Cabe a todos nós, autoridades públicas e segmentos organizados fazer o debate em torno dos serviços prestados pela Energisa e buscar as saídas necessárias para a população usuária desses serviços”, sustentou.

Além dos problemas citados por Anastácio, o coordenador das Assembleias Populares, Gleyson Melo, também denunciou que a Energisa está “enganando” a Chesf (Companhia Hidro Elétrica do São Francisco) ao apresentar relatórios afirmando que o Programa Luz Para Todos, do Governo Federal, tem cobertura de 100% na Paraíba. “Isso não é verdade, a Energisa mente para Chesf e esta questão tem que ser apurada. O serviço pré-pago também é um engordo, que vai prejudicar a população mais pobre. Não podemos deixar que esta energia pré-paga chegue a Paraíba”, sustentou.

Gleyson disse também que irá elaborar um dossiê para mostrar as irregulares cometidas pela empresa no Estado e cobrar providências das autoridades. “A luta começa agora, a Energisa se prepare, por que vamos fazer um dossiê com estas denúncias”, declarou.

Já o presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas da Paraíba, Wilton Maia, disse que a Paraíba trata os seus servidores, os consumidores e a população paraibana em geral com desdém. Ele denunciou também trabalho escravo na Empresa. “A Energisa não respeita ninguém, não respeita os direitos do povo paraibano e dos seus funcionários. Até os deputados são desrespeitados, um exemplo disto é que o senhor Antônio Medina [Diretor de Gestão de Pessoas da Energisa] chama os parlamentares de deputadozinhos da Paraíba”, declarou.

Nova sessão - No final da solenidade, Frei Anastácio disse que irá realizar uma nova sessão especial para continuar discutindo a questão e desta vez espera contar com a presença de membros da Energisa. “Vou consultar o regimento interno da Casa e ver qual é o mecanismo legal que devo adotar, um requerimento ou uma convocação, para a realização de um nova sessão. Mas, a população pode ficar tranqüila que vamos continuar nesta luta, pois a questão é séria. A Energisa vem falhando e quando a gente foge do debate é sinal que a coisa está errada”, afirmou.

Fonte: Cristiano Teixeira
http://www.al.pb.gov.br/noticia.php?cod=5647

 

Outras notícias